Você já deve ter ouvido falar da geração millennial, mas será que você também conhece a geração Z e geração Alpha? As características geracionais têm sido uma questão cada vez mais relevante, já que as particularidades de cada grupo influenciam nas práticas dos indivíduos na sociedade.

Mas o que será que realmente marca cada geração? Neste texto, você vai ver que a relação de cada faixa etária com a tecnologia e com o mercado de trabalho são grandes pontos de referência para pensar o assunto. Por isso mesmo, as empresas estão de olho nesse tema, buscando entender como serão os novos profissionais.

Para os pais, construir uma percepção mais apurada sobre as características geracionais é fundamental para entender melhor o comportamento dos filhos e oferecer melhor orientação no desenvolvimento pessoal e profissional.

Continue a leitura e veja como as gerações Y, Z e Alpha performam no mercado de trabalho e na sociedade.

Geração Y: os famosos millennials

Os millennials, nascidos entre os anos 1980 e 1995, formaram uma das gerações mais conhecidas por conta das mudanças expressivas na forma de comportamento que eles apresentaram. Enquanto o grupo anterior (geração X) se destacou por ser mais conservador e apegado à estabilidade profissional, a geração Y se mostrou mais flexível e desejosa de liberdade de atuação nas empresas.

Essas características foram influenciadas por algumas grandes mudanças sociais, como a globalização e o avanço das tecnologias. Crescendo em um mundo com menos fronteiras, mais acesso à informação e mais segurança financeira, eles passaram a almejar maiores desafios profissionais e oportunidades de crescimento.

Geração Z: crescendo com a tecnologia

Se a geração Y apresentou muitas transformações, a geração Z tem revolucionado o mercado de trabalho. Nascidos entre os anos 1995 e 2010, a maioria das pessoas desse grupo cresceu em um contexto completamente tecnológico. Essa imersão no mundo virtual, nas redes sociais e nas plataformas inteligentes tornou os indivíduos mais individualistas, imediatistas e desapegados.

No mercado de trabalho, isso se reflete em jovens profissionais bastante exigentes em relação à qualidade de vida proporcionada pelo emprego. Eles buscam trabalhar com propósito e querem ser constantemente desafiados e motivados por líderes inspiradores. Diferentes de seus pais, eles não se importam em trocar de empregos ou trabalhar de forma independente.

Geração Alpha: 100% nativos digitais

Com as rápidas transformações sociais, uma nova geração já apareceu. São os Alpha, nascidos a partir de 2010. Mesmo que eles ainda não estejam perto de entrar no mercado, já são observados pelos especialistas, pois têm características bastante específicas. Essa é a primeira geração 100% nativa digital, ou seja, todas as crianças nasceram com acesso a dispositivos como celulares e tablets.

Por isso mesmo, a facilidade delas com essas tecnologias costuma espantar os mais velhos. É importante refletir que as crianças dessa geração têm dificuldade em se interessar pelo analógico. Chamar a atenção delas, tanto nos estudos, quanto no trabalho ou na vida cotidiana, exige flexibilidade para integrar a tecnologia aos aspectos do dia a dia.

Gostou de entender melhor a relação das gerações Y, Z e Alpha no mercado de trabalho? Cada um desses grupos é moldado pelas questões tecnológicas e, para os pais da geração Alpha, a preparação para o futuro deve começar agora, usando games, robótica e empreendedorismo para uma melhor performance profissional.

Que tal pensar um pouco mais sobre o futuro? Veja em outro artigo que separamos quais são as profissões que vão se destacar nas próximas décadas.