O termo STEM deriva da junção das palavras ciências, tecnologia, engenharia e matemática (science, technology, engineering and math) e consiste e na criação de projetos interdisciplinares que trabalhem os conceitos de maneira integrada e atual.

O intuito desse método é levar aos alunos desafios que os tirem do padrão atual (e defasado) de ensino. Não apenas sentar em sua cadeira e absorver o maior número de conteúdos possíveis que o professor traz, mas trabalhar junto a ele na construção do conhecimento.

A ideia é justamente essa: os projetos são criados para os alunos, com os alunos. Traz consigo a responsabilidade de desenvolver nos jovens as habilidades do século XXI, para que caminhem constantemente na melhoria de seus aspectos cognitivos, interpessoal e intrapessoal. Ou seja, o aluno é o protagonista da sua trajetória de aprendizagem.

Um fator de extrema importância trabalhado através da metodologia STEM é aprendizagem do trabalho em equipe. Quando colocamos os jovens para trabalhar em grupos conseguimos desenvolver diversos aspectos considerados necessários para as chamadas “habilidades do século XXI”, pois através dos projetos é possível trabalhar a comunicação entre os alunos, formas de expressão, flexibilidade para adaptar-se ao que é melhor para todos, além da empatia e colaboração.

É importante ressaltar que esse método trabalha muito com a experimentação e, por esse motivo, está constantemente sujeito ao erro. Fato considerado de extrema importância, pois diariamente estamos expostos a possibilidade de errar e, quando isso ocorre em um projeto, os alunos devem buscar diretrizes para melhorar o que não deu certo e, superar assim, mais um desafio.

Se você é um profissional da educação e está à procura de novidades para inovar e melhorar a qualidade de suas aulas, procure utilizar o método STEM. Ele pode ser considerado um dos mais completos, pois busca desenvolver nos jovens exatamente as habilidades mais procuradas nos dias atuais e auxilia na formação de sujeitos completos, preparados não somente de maneira cognitiva (que é fundamental), mas inteirados também as relações interpessoais e questões de autoconhecimento e posicionamento frente as possíveis situações que encontrará ao longo da vida.