Com a pandemia do coronavírus, o dia a dia das famílias mudou completamente, afetando tanto os pais quanto as crianças. Os pequenos deixaram de ir à escola, ver amigos, passear e brincar ao ar livre por conta da quarentena.

Nesse cenário, a saúde mental infantil passou a ser um tema muito abordado, principalmente por educadores e especialistas da psicologia. Tanto em um momento mais complexo como da pandemia quanto na rotina tradicional, a saúde mental das crianças precisa ser observada de perto.

Neste artigo, vamos falar da importância de ter atenção a isso. Além disso, vamos compartilhar alguns sinais que devem ser acompanhados pelos pais.

Por que se preocupar com a saúde mental infantil?

Diferente do que muitas pessoas pensam, as crianças também desenvolvem emoções de forma profunda e são tão afetadas por problemas e mudanças quanto os adultos. Acontecimentos mais drásticos como os da pandemia, perdas de entes queridos ou alteração completa da rotina geram emoções ainda mais intensas.

A principal importância de observar a saúde mental dos filhos é evitar que sentimentos negativos que começam em um momento se prolonguem e tomem proporções maiores e definitivas. A tristeza e o desânimo momentâneos, se não forem cuidados, podem se tornar doenças mentais sérias como depressão e ansiedade.

Além disso, a saúde mental afeta diretamente na capacidade de aprendizado das crianças. Uma mente que não está saudável pode ter dificuldades de concentração e de absorção de conteúdos. No futuro, o psicológico vai influenciar nos relacionamentos interpessoais, na forma de se comunicar e de tomar decisões.

Quais sinais devem ser observados na criança?

Os pais, que convivem diariamente com as crianças, devem estar atentos a diversos sinais que os filhos dão de que algo não está bem. Esses indícios são importantes, já que nem sempre os pequenos conseguem expressar claramente que não estão felizes ou confortáveis com alguma situação.

Alterações bruscas de comportamentos estão entre os principais sinais de atenção na saúde mental. Se uma criança tem hábitos constantes, como dormir bem e comer moderadamente, mas, de repente, passa a ter problemas no sono e comer pouco demais ou excessivamente, isso pode indicar algum desvio.

Durante a quarentena, muitos pais relataram que os filhos ficaram mais irritadiços ou demonstrando muita ansiedade. Isso se tornou comum por conta da mudança na rotina, no entanto, é preciso ficar de olho se os comportamentos são extremos e estão causando danos permanentes.

Além dos sinais comportamentais, as crianças também podem apresentar indícios físicos de quadros psicológicos. Dores no estômago e dores de cabeça constantes são alguns exemplos que podem ocorrer.

Concluindo, a saúde mental infantil deve ser objeto da atenção constante dos responsáveis. Nesses momentos, é fundamental que a criança tenha o suporte da família. Os pais devem ajudar na passagem por momentos difíceis e na compreensão e controle das emoções. Caso seja necessário, é essencial um encaminhamento para especialistas.

Achou este conteúdo relevante? Temos outros artigos como este para compartilhar com você. Para receber em seu e-mail, basta assinar nossa newsletter!