Sistemas de ensino que buscam trazer mais autonomia e fugir dos métodos tradicionais não são mais uma novidade no mundo atual. Entre as principais propostas, o Project Based Learning (PBL) é um dos principais e que merece muita atenção.

Baseada em projetos, essa metodologia propõe um maior envolvimento do aluno com determinada questão que precisa ser solucionada.Com ampla imersão e maior autonomia, os estudantes tendem a ter maior independência na resolução de problemas, além de serem ensinados a buscarem soluções variadas.

Nessa nova abordagem, o professor deixa de ter um papel de emissor central, diante de um receptor, para então assumir a função de orientador. Esse é o ponto principal quando falamos de PBL!

A seguir, o conteúdo detalhará mais sobre essa metodologia de ensino, como ela funciona, de que forma é aplicada na educação e quais benefícios proporciona. Confira!

O que é Project Based Learning?

Project Based Learning é um método de ensino focado em projetos. Em vez de simplesmente ser exposto a uma alta quantidade de conteúdo, o aluno deve solucionar uma questão por meio de um projeto em que ele trabalhará. Essa proposta é voltada para desconstruir a ideia de ensino tradicional, mas com o foco em proporcionar maior autonomia e um aprendizado mais amplo.

Em tradução do inglês, o método é nomeado de Ensino Baseado e Projetos, o que deixa claro sua proposta principal. São entregas mais complexas do que simples perguntas que podem ser respondidas com um conhecimento básico ensinado no ensino tradicional e cobrado nos modelos de avaliação conhecidas. No entanto, isso não significa um alto nível de dificuldade.

Todos as questões entregues ao aluno são pensadas de acordo com o nível de desenvolvimento que eles têm e, para ser ainda mais concreto, são problemas da vida real. São abordadas questões que permeiam sua comunidade local, o ambiente escolar, o dia a dia em casa, entre outras ocasiões. É fundamental que seja algo relacionado à vivência que cada um desses alunos têm.

Outro ponto essencial do PBL é o fato de ele ser um método de ensino híbrido, ou seja, não há o foco setorizado em cada uma das disciplinas ensinadas na escola. Isso significa que, em um único projeto, poderá ser necessário aplicar conhecimento de diferentes campos.

Esse método ajuda a ter um aprendizado mais concreto e potencializado, com percepção real de aplicação dos conteúdos das disciplinas. Por vezes, no ensino tradicional, o aluno não entende a real utilidade de fórmulas, teorias e outros conteúdos. Em projetos, eles mesmo buscam as soluções por conta própria, descobrindo de forma autônoma o que se encaixa melhor à situação.

Desafio e motivação

Desafiar os alunos é uma das propostas principais que o Project Based Learning apresenta. Seja na aprendizagem para crianças ou no ensino médio, a ideia é que o estudante seja desafiado a buscar uma solução para o que foi apresentado. Pensando em uma proposta de escola diferente, essa abordagem vai muito além do que é geralmente proposto em métodos tradicionais.

Ao se manter apenas como um receptor de informação, o aluno pode não se manter tão motivado, já que sua participação é extremamente limitada. Na escola tradicional, seu momento de interagir e agir para solucionar também é limitado. Além disso, essa etapa prática refere-se ao que foi ensinado, ou seja, exige que o aluno resolva exercícios usando apenas métodos e fórmulas.

Além de ser desmotivadora no âmbito escolar, essa situação também pode ser um freio na capacidade de desenvolvimento do aluno. Em vez do desafio, há apenas dificuldades que não são enfrentadas da maneira certa. Nessa metodologia, o professor também não tem a participação devida, tornando a vida escolar cada vez mais difícil e padronizada.

Em metodologias como a Project Based Learning, a ideia é que cada aluno possa ser desafiado a solucionar um problema, fazendo isso de maneira autônoma. Ele sente que há uma questão real em que pode contribuir, vendo resultados concretos com a entrega de seus projetos. Saber que há liberdade criativa também é um fator motivador que o mantém entregue à missão oferecida.

Autonomia e descentralização

A ideia de escola do futuro tem duas bases centrais que o PBL também utiliza: maior autonomia ao aluno e descentralização do ensino. O estudante, nesse método, se depara com a necessidade da resolução de um projeto e, para isso, ele próprio deve buscar os conhecimentos e métodos necessários.

Nesse processo, o aluno pode ou não precisar da ajuda do professor, que atua também como orientador. A relação configura mais poder de decisão para o estudante, que não necessariamente precisa utilizar metodologias utilizadas em um ensino básico. Além disso, não há uma dependência do professor como a única fonte de ensino, o que torna a relação mais interessante.

Sabendo disso, o professor precisa atuar também como um agente central de ensino, o mais importante na sala de aula, mas seu papel, de forma geral, é de orientador. Ele poderá sugerir caminhos, mas a atitude de busca por soluções é algo essencial e incentivado ao aluno. Dessa forma, ele ganha confiança, se sente mais independente e, consequentemente, capaz.

Essa proposta de oferecer autonomia e descentralizar o ensino é um ensaio prévio da vida adulta, especialmente nas relações de trabalho e no cotidiano profissional que o estudante terá. Quando chegar esse momento da vida, esse aluno que aprende por meio do PBL terá maior confiança e estará capacitado a enxergar situações com uma visão mais ampla, com um rol maior de soluções sob seu controle.

Como funciona a aprendizagem baseada em projetos?

A Project Based Learning é um método muito específico e, se praticado da forma certa, pode gerar grandes resultados a nível de desenvolvimento dos alunos. A seguir, entenda em alguns pontos quais são as etapas do trabalho, como o aluno atua e qual é o papel do professor nessa jornada.

Apresentação da questão

O método tem início na apresentação da questão. É nesse momento em que os alunos sabem exatamente sobre o que precisarão refletir, investigar e destrinchar para encontrarem soluções. São problemas concretos que precisarão de soluções viáveis, e é justamente essa questão que torna essa metodologia tão importante. Ela é uma preparação para o futuro, além de ser forma de ensino.

São questões variadas que vão muito além da solução de um problema matemático. Nesse caso, as fórmulas podem até ser úteis, desde que sejam aplicadas como solução. O ensino, no entanto, não é oferecido por completo, permitindo que o aluno tenha o conhecimento suficiente para resolver o problema. Ele precisará ir atrás de respostas, estudando hipóteses e possibilidades.

Os projetos são variados e podem abordar diversas questões. Alguns bons exemplos que podem ser propostos são:

  • desenvolver um projeto de acessibilidade para a infraestrutura de ruas do bairro;
  • criar um sistema de reutilização de água da chuva;
  • criar um produto inovador para solucionar um problema da vida escolar do estudante.

É essencial que todo projeto seja pensado para entregar a necessidade de reflexão e desafio, mas que também possa ser desenvolvido pelo estudante. Questões como inovação, sustentabilidade, além da funcionalidade social, são importantes pilares que devem ser considerados.

Trabalho em grupo

Um dos pilares do PBL é o trabalho colaborativo, ou seja, em grupo. Não é apenas um detalhe simples de organização, mas sim algo pensado para desenvolver qualidades específicas no aluno. Trabalhar em grupo é essencial para que esses estudantes saibam desenvolver características como:

  • senso de coletividade;
  • noções de atuação colaborativa;
  • relações interpessoais;
  • comunicação;
  • trabalho em equipe.

Os grupos também são interessantes para reunir diferentes características e qualidades. Essa metodologia de ensino parte do entendimento de que pessoas são diferentes e, no âmbito escolar, os estudantes não podem ser observados como um modelo único. Por isso, formar grupos é essencial para que alunos possam se complementar quanto às suas habilidades principais.

Suporte do professor

O professor não se limita a oferecer o conteúdo e esperar retornos a partir disso. Justamente por conta dessa abordagem é que ele se torna ainda mais importante nessa metodologia de ensino. No PBL, ele toma o posto de orientador, mas o trabalho começa bem antes quando ele pensa em um projeto, propõe discussões e, de modo geral instiga os alunos a desenvolverem o projeto certo.

Dessa maneira, é possível destrinchar em etapas o papel do professor, abordando seu trabalho de forma geral. Ele atua da seguinte forma:

  • criação do projeto – O professor pensa em projetos que podem trazer aprendizado e que possam ser desenvolvidos. A partir disso, ele propõe a cada grupo, realiza debates e transmite exatamente o que ele quer desse trabalho a ser feito;
  • suporte e monitoramento – O professor precisa manter os alunos motivados, os incentivando, se mostrando disponível e orientando no processo. É seu papel, além de conduzir, monitorar todo o desenvolvimento;
  • avaliação do projeto – A avaliação pode ser contínua ou após a apresentação do projeto, sempre envolvida em muito debate e alinhamento. É essencial que o professor se reúna com os alunos e deixe claro seus parâmetros da avaliação e o resultado dela.

Necessidade de reflexão contínua por parte do aluno

É essencial que o aluno seja estimulado a refletir sobre o projeto em que ele trabalhará. Ao momento da entrega a cada grupo, é papel do professor propor discussões que promovam o melhor entendimento da proposta daquele exercício. Muitas vezes, estudantes se dedicam apenas ao aprendizado que os permita a aprovação escolar e, definitivamente, o PBL evita isso.

O método visa o desenvolvimento do aluno também como cidadão e futuro profissional. Por isso, os projetos são sempre relacionados a realidades às quais eles fazem parte. O incentivo à reflexão é o que permitirá que esse estudante saiba porque o projeto é relevante e entenda quais caminhos de resolução. O debate ajuda também na compreensão da importância do desafio escolhido e quais aprendizados ele pode oferecer.

Como o PBL pode ser aplicado na educação?

O PBL é um método de desenvolvimento que pode ser aplicado na educação como base principal do aprendizado dos alunos. Nesse caso, ele substitui os métodos tradicionais que conhecemos atualmente. Sua proposta, além de transmitir o conhecimento de questões básicas, é propor uma evolução completa do aluno, não se limitando às questões técnicas e educacionais.

No aprendizado de projetos, há diversas características e habilidades importantes que são desenvolvidas. Assim, de forma geral, a proposta é que o aluno possa ter um crescimento completo, indo além das disciplinas. Entenda a seguir como esse método é aplicado e o que ele proporciona a nível de aprendizado.

Estimular a participação

Uma das propostas do PBL é propor um envolvimento maior do aluno, fazendo com que seja parte de suas obrigações a participação nos projetos. Isso é essencial para seu aprendizado, uma vez que a imersão é o que garante o entendimento de conceitos e de suas respectivas aplicações. No ensino tradicional, nem sempre isso é feito da melhor maneira.

Um aluno que é apenas receptor de conteúdo pode simplesmente não ter o nível de envolvimento necessário com as disciplinas. Naturalmente, seu nível de aprendizado pode ser prejudicado, especialmente quando isso é associado à questões pessoais, como a timidez. Nos projetos, cada um tem seu papel e, dentro de um grupo, podem participar com uma contribuição decisiva.

Desenvolver senso de responsabilidade

Comprometimento e responsabilidade são dois deveres que o aluno aprende durante sua vida escolar, geralmente cedo. Ainda que as lições de casa, os exercícios na sala de aula, além de outros trabalhos, proporcionem isso, um projeto leva o senso de responsabilidade a outro nível. No PBL, há a necessidade de um comprometimento com algo real e que afetará outras pessoas.

A entrega de um projeto é algo que envolve os colegas de turma e a comunidade, uma vez que as propostas de soluções são de real valor e utilidade para alguém. Uma vez que os alunos entendam isso, o nível de dedicação e organização precisa ser mais alto. Cabe também aos professores prestarem todo suporte para ajudar o estudante a se organizar e cumprir com prazos.

Estimular hábitos de pesquisa

A educação escolar precisa também preparar o estudante para o ensino superior, caminho natural que se deve propor. Sabendo que as exigências e os métodos das universidades são mais exigentes, é essencial que esse aluno seja devidamente qualificado ainda na escola. A pesquisa é uma necessidade futura importante e, no PBL, ela pode ser exercida antecipadamente.

A vida acadêmica é repleta de momentos em que a pesquisa será necessária e, quanto mais cedo o aluno se deparar com ela, melhor. Para desenvolver seus projetos, o estudante precisará se dedicar a esses esforços, garantindo assim o estudo de opções e métodos de resolução do seu projeto. A pesquisa é uma importante ferramenta educacional que pode ser proposta no PBL.

Estimular a inovação

A inovação é um dos valores mais importantes para o futuro. No mercado, profissionais desenvolvidos em ambientes que propõe a inovação têm grandes chances de obterem maior sucesso. Empresas dedicam setores inteiros só a isso e, se o aluno aprende desde cedo o valor da inovação, certamente o seu futuro será muito mais promissor.

No PBL, a inovação é estimulada por meio dos exercícios de pesquisa e da liberdade criativa que os professores oferecem aos seus alunos. O estudante deve buscar as suas soluções a partir do esforço próprio de pesquisa e de reflexões em conjunto, com seu grupo. Essa flexibilização permite que haja espaço para inovar, desde que se encontre a solução ideal para cada um dos projetos.

Preparar para apresentações

Seja na vida acadêmica, seja na profissional, apresentar projetos, resultados, estudos e o que mais for necessário será algo corriqueiro e comum. Por vezes, alunos se sentem tímidos e intimidados na hora de falar em público, o que é completamente normal e aceitável, mas que pode ser mudado desde cedo. Nesse sentido, o PBL é de grande ajuda para trazer ambientação.

Uma vez concluídos, os projetos dos alunos devem ser apresentados, e essa é uma parte muito valorizada entre o processo de aprendizagem baseado em PBL. É nessa fase final em que os alunos mostrarão o valor de suas soluções, explicarão suas reflexões e estudos para chegar ao resultado, entre outros pontos. Esse é um ensaio valioso e preparatório para um futuro de maior autoconfiança.

Quais são os 4 benefícios do PBL na educação

O PBL é um método concreto e cada vez mais usado porque, principalmente, traz benefícios decisivos no desenvolvimento de alunos e cidadãos. Do desenvolvimento técnico e intelectual, até o pessoal, há muito a ser absorvido nessa metodologia de ensino. A seguir, confira os 5 principais benefícios do PBL na educação.

1. Desenvolver habilidades variadas

Reflexão, pesquisa, desenvolvimento de mecanismos específicos para cada solução e uma série de outras habilidades e qualificações. No PBL, de acordo com o projeto em questão, há muito a ser melhorado e aprendido, e por isso esse método é tão rico.

Uma das questões mais importantes é que todo esse trabalho é multidisciplinar, com muito sendo aprendido durante o processo. O aluno, com suporte do professor, é exposto à necessidade de entendimento de diferentes funcionamentos.

Isso fará com que ele precisa buscar resoluções, o que envolve um aprendizado prático e profundo. Nesse processo, muitas habilidades serão necessárias e, naturalmente, a maioria será desenvolvida ao longo do processo.

2. Exercício da empatia

A empatia é uma capacidade social de grande importância e que constantemente tem sido debatida. Sem ela, não é possível propor reflexões que vão além de nossas próprias realidades, necessidades e privilégios. Em PBL, a empatia é um valor fundamental não só no desenvolvimento pessoal do aluno, mas também na garantia que ele esteja capacitado a propor soluções.

Por exemplo, se o seu projeto é desenvolver acessibilidade na sua escola, é necessário exercer a empatia para entender quais são as necessidades básicas de pessoas que têm dificuldade de locomoção. Pensar por outros pontos de vista, além de se colocar no lugar do outro, é um exercício altamente empático, solidário e que garante qualificação no resultado dos projetos.

3. Desenvolvimento de liderança

Todo grupo precisa ser liderado, e isso é uma realidade também em Project Based Learning. É essencial que algum dos alunos participantes tome a frente das decisões, guie seus colegas de classe e ajude-os a organizarem ideias, pensamentos e ações. Essa liderança nem sempre é algo que o estudante sabe que tem, por isso, o PBL é uma ferramenta de descoberta nesse sentido.

A liderança é uma característica que não se encontra em qualquer pessoa, o que também não é um problema. É essencial, inclusive, que haja pessoas de todos os tipos de perfis, mas quanto mais cedo ele for descoberto, melhor. Descobrir líderes ainda na vida escolar é algo de grande vantagem e que pode ser fundamental para o futuro desses alunos envolvidos.

4. Construção da abordagem colaborativa

Colaborar é uma necessidade fundamental para a vida em sociedade. Estamos sempre em compromisso com pessoas em diversas áreas da vida pessoal: no trabalho, na vizinhança, entre amigos, na família e também na vida educacional. O Project Based Learning propõe que a abordagem colaborativa no desenvolvimento de projetos seja algo essencial.

Ao colaborar, alunos podem trocar experiências e, de modo geral, aplicar um pouco de suas respectivas habilidades e qualificações. Em prol de um resultado melhor, cada um faz sua parte, visando não só entregar seu compromisso, mas também em dar suporte para que seus colegas consigam dar o melhor deles. Os resultados serão sempre melhores se baseados em colaboração.

Colaborar, propor autonomia, decora-se em prol de um bem voltado a uma comunidade e se esforçar, com base na inovação, para encontrar soluções. O Project Based Learning tem valores sólidos, modernos e que garantem aos alunos um desenvolvimento não só educacional, mas também em relação aos seus valores pessoais. É mais do que qualificar, mas preparar cidadãos para a vida e para o futuro.

Métodos de aprendizado modernos podem ser a chave para uma sociedade mais empática, qualificada e, principalmente, com educação de qualidade. A Quantum Space tem o com promissor de contribuir para esse futuro. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nosso trabalho!