Fazer com que os estudantes tenham um melhor desempenho em sala de aula e contribuir para eles desenvolverem novas habilidades são fatores que justificam o uso da neurociência na educação.

Esse segmento da ciência consiste em uma área de estudo ligada à medicina que interage com outros setores, como psicologia, biologia, anatomia, física, genética, tecnologia etc. A neurociência tem como meta contribuir para compreender o funcionamento do cérebro humano desde a formação até o envelhecimento.

Neste post, apresentaremos como essa área pode contribuir para a melhoria da qualidade do ensino e da capacidade de cognição de crianças e adolescentes. Confira!

Ajuda a entender o desenvolvimento da criança

Com informações mais detalhadas sobre como os estudantes podem obter conhecimento em uma faixa etária, os educadores têm mais possibilidades de adotar estratégias que facilitem o aprendizado.

É muito importante que educadores busquem dados qualificados sobre a neurociência na educação. Assim, é possível compreender ações que contribuem para a aquisição do conhecimento e a superação de dificuldades de alfabetização no início da vida escolar.

Respeitar o tempo do estudante e buscar estímulos para vencer barreiras são iniciativas que os colégios e os professores devem priorizar na formação dos estudantes, o que é fundamental para as crianças terem uma maior afinidade com o ambiente escolar.

Permite a utilização de estratégias adequadas

Adorados pelos estudantes, os games proporcionam bons resultados para os colégios. Um dos motivos é que os jogos virtuais atraem crianças e adolescentes para aprender as disciplinas de maneira mais lúdica e interativa.

A gamificação na educação é uma área que pode ser mais bem explorada no Brasil. Muitas instituições de ensino não adotam esse recurso no dia a dia e perdem boas oportunidades de fidelizar o estudante.

Os games contribuem para estimular a atenção, a concentração e o raciocínio lógico, aspectos imprescindíveis para reforçar o aprendizado de conceitos matemáticos. Dependendo do jogo digital, é possível abordar temas ligados a outras disciplinas, como português e geografia.

Favorece uma melhor absorção dos conteúdos

A neurociência tem colaborado para colégios darem mais atenção aos benefícios da gamificação na educação. Além disso, tem ajudado às instituições de ensino a alternar programas e rotinas para facilitar o aprendizado.

Uma dessas medidas envolve a modificação do horário do começo das aulas. De acordo com estudo de cientistas britânicos, 30 minutos a mais de sono contribuem bastante na melhoria da cognição e do nível de atenção em sala.

Outra alteração envolve a possibilidade de os estudantes escolherem os conteúdos que estão mais ligados às habilidades. Esse aspecto fortalece o ensino personalizado e torna o colégio uma referência de conhecimento para o estudante. É essencial que a criança e o adolescente percebam que o assunto abordado vai ajudá-los no dia a dia.

A neurociência na educação tem permitido um grande avanço no processo de aprendizagem. Um dos motivos é a adoção de iniciativas que tornam o ensino mais próximo da realidade dos estudantes, como o uso de ferramentas tecnológicas. Ter sensibilidade para compreender as características do estudante é crucial para obter bons resultados.

Para ajudar o seu filho a adquirir mais conhecimento, vale a pena ler este post sobre habilidades socioemocionais. Sem dúvida, informação de boa qualidade é um bom caminho para o sucesso!