Cada vez mais, entra em pauta o assunto das habilidades socioemocionais, como o autoconhecimento, a capacidade de ter bons relacionamentos interpessoais e a colaboração. Atualmente, temos uma noção muito mais clara de como elas são importantes em todos os setores da vida, inclusive no profissional.

Para os pais que buscam uma formação completa para seus filhos, esse termo também ganha relevância na trajetória escolar. Afinal, mais do que incentivar boas notas em provas semestrais da escola, proporcionar uma educação complementar voltada para o desenvolvimento dessas habilidades ajuda a preparar a criança para sua futura carreira.

Aliás, mais do que isso, as habilidades socioemocionais também são essenciais para a participação ativa na sociedade por parte das novas gerações. Quer entender melhor? Então, acompanhe a leitura!

A importância das habilidades socioemocionais

As habilidades socioemocionais têm a ver com a capacidade de um indivíduo para conviver bem com os outros (aspectos interpessoais) e consigo mesmo (aspectos intrapessoais). Então, elas envolvem características positivas nas interações sociais, como a empatia, além do gerenciamento das próprias emoções e percepções, incluindo o autoconhecimento e o senso crítico.

Cada vez mais, essas habilidades são requisitadas no mercado de trabalho. Para que você tenha uma ideia, a pesquisa Global Talent Trends 2020, conduzida pelo LinkedIn, revelou que nada menos do que 92% dos recrutadores de grandes empresas buscam competências socioemocionais em seus candidatos.

De acordo com eles, essas aptidões, chamadas de soft skills (ou habilidades suaves, em tradução livre) muitas vezes são até mais importantes do que os conhecimentos técnicos em uma profissão, chamados de hard skills.

Entre as habilidades mais procuradas no mercado de trabalho, ainda segundo essa pesquisa, estão a criatividade, a colaboração e a boa gestão de tempo — todas podem ser consideradas habilidades do século 21, pois são cada vez mais demandadas atualmente e, ainda mais, nas profissões do futuro.

Ainda, as habilidades emocionais também trazem impactos no sucesso pessoal e são decisivas na transformação das dinâmicas sociais. Então, elas vão além de aprendizados formais e fazem parte de uma formação integral do ser humano.

Exemplos de hard skills e soft skills

Para que você entenda melhor a diferença entre as chamadas hard skills e soft skills, veja só uma listagem com algumas delas!

Hard skills

As hard skills têm como principal característica a possibilidade de serem comprovadas por meio de testes, diplomas etc. São exemplos:

  • bom desempenho no Enem;
  • graduação;
  • cursos técnicos;
  • certificado de proficiência em línguas estrangeiras;
  • capacitações diversas, como linguagens de programação.

Soft skills

Já as soft skills não são técnicas, mas sim comportamentais. Entre as principais, estão:

  • autoconhecimento;
  • raciocínio lógico;
  • curiosidade;
  • colaboração;
  • empatia;
  • resistência às frustrações;
  • auto gerenciamento.

O desenvolvimento das habilidades socioemocionais

A família e a comunidade certamente desempenham um papel essencial no desenvolvimento de habilidades socioemocionais das crianças. No entanto, cada vez mais, a sala de aula também — prova disso são as competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que devem ser visadas pelas escolas.

Atualmente, a educação vai muito além da transmissão de conteúdos formais, como Matemática ou Biologia. Esses conhecimentos são muito importantes para o aluno, não há dúvida, mas devem andar lado a lado com o desenvolvimento socioemocional.

Algumas possibilidades de desenvolvimento da habilidade socioemocional durante a trajetória escolar são, por exemplo, as atividades complementares à sala de aula, como música robótica, além de um sistema de ensino baseado em projetos, em que as crianças trabalham em equipe e estimulam a criatividade.

Até porque é no ambiente escolar que crianças e adolescentes têm contato com perspectivas diversas daquelas do convívio familiar. Lidar com pessoas diferentes, integrar equipes, desenvolver projetos e despertar o senso crítico são apenas algumas das realizações da escola na vida do estudante.

Enfim, o desenvolvimento de habilidades socioemocionais desde cedo tem impactos grandes no futuro da criança e da sociedade como um todo. Por isso, vale a pena colocá-lo na lista de prioridades para a educação dos pequenos.

Sabia que uma das formas de estimular o raciocínio lógico, uma habilidade socioemocional, é ensinar linguagens de programação para crianças? Leia o post e entenda!

Posts Relacionados