Você já percebeu que o processo de desenvolvimento dos seus filhos não pode estar limitado às paredes da escola? Muitos pais já têm consciência da necessidade de oferecer estímulos extras às crianças e adolescentes e, por isso, passaram a apostar em educação complementar.

Continuar aprendendo fora da escola é o caminho para explorar o potencial de cada criança de forma leve e divertida desde a infância.

Neste texto, você entenderá como a educação complementar funciona, sua importância e as principais vantagens de investir nessa tendência. Continue a leitura e confira!

O que é educação complementar?

A escola tradicional tem um papel fundamental no ensino de uma criança, dando os subsídios necessários para a construção de conhecimentos acerca da sociedade e iniciando nos caminhos teóricos e práticos das disciplinas básicas.

No entanto, ainda existem lacunas de conhecimentos que poderiam ser preenchidas na formação cultural e social da criança e é nesse ponto que a educação complementar se torna estratégica no desenvolvimento de cada indivíduo.

O ensino fora da escola se torna responsável por agregar valores culturais e sociais, além de desenvolver aspectos motores, emocionais e cognitivos.

A criança é estimulada em diferentes áreas e pode descobrir seu potencial para segmentos específicos de conhecimento ainda na infância. Isso, certamente a tornará um adulto mais consciente de si e de suas próprias capacidades e desejos.

A educação complementar pode se viabilizar de diversas formas, mas, o mais importante, é que seja dinâmica e prazerosa para os alunos. Os cursos fora da escola podem ser voltados para disciplinas específicas, como idiomas e robótica ou podem ter um caráter mais abrangente, abordando temas como empreendedorismo e inovação.

Quais são as vantagens do ensino complementar?

Um dos principais benefícios de investir em ensino complementar para crianças é o desenvolvimento de um repertório mais vasto de conhecimentos e vivências. Os alunos têm uma oportunidade valiosa de colecionar experiências sociais, explorar sua criatividade e terem a liberdade de desenvolver soft skills — competências socioemocionais como autoconhecimento, liderança e empatia — de forma prática.

Além disso, ao longo da infância, os pais podem perceber áreas favoritas e de melhor desempenho em seus filhos. Assim, têm a oportunidade de fomentar esse interesse e garantir o aperfeiçoamento em matérias que realmente são desejadas pela criança ou adolescente.

Mais uma vantagem de metodologias extracurriculares é a possibilidade de o aluno aprender de modo mais leve, lúdica e divertida, sem o peso do ensino tradicional. Esse dinamismo favorece o processo de aprendizagem e o torna mais prazeroso.

Como escolher uma metodologia de ensino?

Na hora de escolher uma metodologia de ensino complementar, é fundamental pensar no bem-estar das crianças e no conhecimento que será agregado aos saberes já passados na escola. O objetivo é justamente oferecer acesso a experiências que sejam diferenciadas da escola tradicional.

Por isso, é interessante buscar por metodologias ativas, que colocam em foco a performance de cada criança e dão mais liberdade para experiências de construção não linear de conhecimento. Como exemplo, podemos citar as metodologias Sala Invertida, STEM e Cultura Maker, que colocam os alunos como principais personagens no processo de aprendizagem.

Espero que você tenha notado o potencial da educação complementar para o desenvolvimento das crianças. Essa é uma oportunidade valiosa para ampliar conhecimentos teóricos e socioculturais durante o processo de formação de um indivíduo.

Se você gostou deste artigo, compartilhe em suas redes sociais! Outras pessoas podem achar este tema interessante.